No dia 30 de Abril decorreu, no campo sintético do Clube Desportivo Carapinheirense, o “I Encontro Desportivo das Escolas Profissionais” organizado pela Associação Diogo da Azambuja (ADA), juntando cerca de duas centenas de jovens atletas.

Este torneio de Futebol de 7, organizado pelos professores de Educação Física da ADA (Alexandre Coelho, Pedro Fonseca e Carlos Pereira), no âmbito do plano de atividades desta disciplina, foi disputado por equipas masculinas e femininas oriundas da Escola Profissional Vasconcelos Lebre da Mealhada (EPVL), Escola Técnico-Profissional de Cantanhede (ETPC) e das Escolas da ADA – Profissional (EPM) e Agrícola (EPAAD).

Com esta iniciativa, a organização pretendeu proporcionar às diferentes comunidades escolares um dia desportivo e diferente do habitual, visando assim “o gosto pela prática desportiva, o convívio socio-desportivo e momentos de confraternização, criação de relações de convivência, camaradagem e respeito entre todos, contribuindo para a formação de hábitos e atitudes de cooperação, espírito de equipa, auto domínio, solidariedade e ética desportiva.

Após os confrontos desportivos, a formação feminina da Escola Técnico-Profissional de Cantanhede, com 8 golos marcados e 3 sofridos, foi a vencedora do torneio, seguida da EPPAD e da EPM. Das equipas masculinas, a turma da EPVL foi a que atingiu a classificação vitoriosa, sem derrotas, marcando 20 golos e sofrendo 2. A EPTC conquistou o 2.º lugar, ficando a EPM e a EPPAD, respetivamente, em 3.º e 4.º lugares.

Com um fair-play incontestável, cada formação deu o seu melhor procurando conseguir o título de vencedor, imperando o espírito de equipa e de entrega a um objetivo comum. Os objetivos da iniciativa foram amplamente atingidos, tanto no âmbito da promoção da atividade física, como no que respeita à socialização que este tipo de ação consegue proporcionar.

No final, o diretor pedagógico da EPM, Mário Jorge Silva, teceu elogios à organização e às escolas participantes, realçando que a iniciativa foi salutar quer a nível desportivo quer a nível da cidadania. Agradecendo a participação das escolas envolvidas nesta atividade desportiva, Mário Jorge lançou o desafio no sentido do evento ser para continuar, propondo “a rotatividade da sua organização” para que a bola possa voltar a rolar entre as comunidades escolares, “com a mesma vivacidade com que nos apraz repetir”, porque também assim se constrói e promove “a formação desportiva e cívica” dos jovens alunos.

A organização, entretanto, por intermédio do Professor Carlos Pereira agradeceu às Escolas e aos atletas a participação no torneio, registando a louvável colaboração dos alunos do Curso de Organização Eventos e do Curso de Multimédia que registou a atividade em vídeo e fotografia.

Seguiu-se a distribuição dos respetivos prémios de acordo com as classificações obtidas, sendo que a Escola Técnico-Profissional de Cantanhede também foi contemplada com o “Troféu Fair-Play”.