DirectoresA Associação Diogo de Azambuja (ADA) abre as portas, no próximo dia 9, para os alunos neófitos e dia 12, para os cerca de 400 alunos, divididos por 21 turmas.

Contrariando a tendência de perda de turmas que se verificou a nível nacional, a Associação Diogo de Azambuja (ADA), com a Escola Profissional (EPM) e a Escola Profissional Agrícola Afonso Duarte (EPAAD), neste ano lectivo 2011/2012, vai abrir com mais alunos, relativamente aos anos anteriores, atingindo o recorde de 21 turmas.

O crescimento de número de turmas reflecte-se na dinâmica do projecto educativo da ADA que se sustenta no lema “educar para a cidadania … formar para a qualidade e excelência”, afirmou Mário Jorge Silva, director pedagógico da EPM, enfatizando que “as condições oferecidas e os bons resultados obtidos sustentam o crescimento de turmas”. Investindo numa formação qualificada que abrange a aquisição, o domínio de conhecimentos, as competências, as atitudes e os valores, para que os jovens formandos venham a atingir níveis de qualidade e excelência, quer como cidadãos, quer como técnicos. Para isso, de acordo com Mário Jorge, a ADA tem como metas uma formação integrada dirigida para “a qualidade e qualificação profissional para a excelência”, sublinhando que está em causa “a formação integral do indivíduo para dar resposta a uma sociedade cada vez mais exigente”. Neste contexto, esclarece, “a ADA tem apostado na qualidade das suas infra-estruturas, tanto a nível de espaços físicos como a nível de equipamentos”. Consciente da nova realidade e das novas exigências, “a direcção fez uma forte aposta em novas tecnologias, equipando as escolas com o mais moderno material informático, destacando-se uma rede de dados, com inúmeras potencialidades de utilização”, frisou o director pedagógico da EPM.

Todas as salas de aulas estão equipadas com um computador, ligado em rede, que permite aos professores aceder ao livro de ponto electrónico, conteúdos programáticos e notas dos alunos. Permite ainda o acesso à Internet, podendo o professor, em qualquer disciplina, leccionar aulas interactivas, através de projecção multimédia. Os alunos têm à sua disposição vários computadores ligados à Internet durante todo o período escolar. Na EPM existem também cinco salas (laboratórios de informática) equipadas com 12 computadores cada, ligados em rede e com acesso à Internet.

No ano lectivo 2011/2012, a EPM vai abrir com 15 turmas repartidas pelos cursos de Informática de Gestão, Multimédia, Higiene e Segurança no Trabalho e Ambiente, Animação Sociocultural e Gestão e Organização de Eventos (nível IV) e Operador de Informática e de Fotografia (nível II).

Joaquim Carraco, director pedagógico da EPAAD, salientou a manutenção do mesmo número de turmas, frisando que “a situação da Escola Profissional Agrícola torna-se mais complexa pela agravante de haver uma reduzida atractividade da população estudantil pelos cursos relacionados com a temática”, fruto das políticas colocadas em prática pelos últimos governos que “não motivam os jovens para o sector agrícola”. De qualquer modo, refere, fazendo uma rotatividade de cursos, vamos, este ano, manter seis turmas, rondando os 130 alunos”.

A EPAAD também tem as suas salas de aula equipadas com computadores e quadros interactivos, assim como duas salas de análises laboratoriais e de investigação, com o equipamento inerente à especialidade, além de um conjunto de máquinas e equipamentos agrícolas. A EPAAD abre com 6 turmas dirigidas aos cursos de Produção Agrária, Processamento e Controlo de qualidade Alimentar, Análises laboratoriais e Turismo Ambiental e Rural (nível IV) e Operador Agrícola (nível II).

Aldo Aveiro