A Associação Diogo de Azambuja (ADA), após a realização da respectiva ‘defesa dos trabalhos finais’, certificou uma dezena de novos Técnicos de Segurança e Higiene no Trabalho, do Curso EFA (Educação e Formação de Adultos), no dia 22 de Julho.

 

Para estes formandos foi o culminar de um ano de formação na Escola Profissional (EPM), integrada na ADA, que defenderam os seus trabalhos, com sucesso, perante um júri constituído por cinco elementos, incluindo dois técnicos da Autoridade das Condições de Trabalho (ACT).

Com esta “prova final”, os formandos obtiveram o Certificado de Aptidão Profissional (CAP) – uma mais-valia para o seu próprio futuro profissional – e a equivalência ao 12.º ano de escolaridade.

O curriculum formativo, cujas aulas teóricas e práticas decorreram em período diurno, na EPM, foi coordenado pela professora Margarida d’Almeida, do Departamento de Formação Contínua, outra valência da ADA/EPM, destinado aos “profissionais activos” que procuram acções de curta duração de requalificação ou aperfeiçoamento, em áreas diversificadas. Neste Departamento, os profissionais activos encontram as respostas formativas adequadas às suas necessidades, nomeadamente Cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA), Cursos de Formação de Formadores e ainda Curso de Técnico de Segurança e Higiene no Trabalho.

O estágio profissional individual decorreu em diferentes empresas da região que, numa parceria com a ADA, receberam e orientaram os formandos a “ganharem competências técnicas” necessárias ao exercício da profissão.

Esta certificação de novos Técnicos de Segurança e Higiene no Trabalho junta-se ao conjunto de 92 diplomas de qualificação, alusivos a diferentes áreas de formação profissional - Atendimento ao Público e de Conhecimentos da Língua Inglesa (comércio), Administrativos (desempregados, em horário laboral), Secretariado, Quadros Interactivos e Plataforma Moodle, 13 em dbGEPE (Software de gestão escolar) e Inglês - entregues pela ADA/EPM, no passado dia 20 de Junho, em cerimónia realizada na Câmara Municipal.

A ADA garante uma formação qualificada e qualificante, fortemente contextualizada com o mundo do trabalho e permite a obtenção de um bom nível de competências transversais ao nível das atitudes e dos valores sócio-profissionais.

“Um momento marcante para os formandos, formadores e EPM, como entidade coordenadora das acções de formação contínua”, referiu Mário Jorge Silva, Director Pedagógico da EPM, ao divulgar os “excelentes trabalhos” apresentados e defendidos pelos formandos. Distinguiu, na ocasião, “a vocação da EPM” na formação de qualidade, cuja aposta constitui “um valor acrescentado” para a entrada no mercado de trabalho.

A ADA/EPM vai continuar a apostar na “valorização pessoal e de cidadania” e “qualificação profissional” para responder positivamente “às necessidades do empreendedorismo criativo e inovador”, garantiu Mário Jorge Silva.

Aldo Aveiro