Os formandos do Curso Técnico de Gestão do Ambiente, da Escola Profissional Agrícola Afonso Duarte (EPAAD) realizaram, no Auditório da Biblioteca Municipal Afonso Duarte, a defesa da sua Prova de Aptidão Profissional (PAP).

Esta prova é um projecto de realização obrigatória para a conclusão dos cursos profissionais, tendo uma essência transdisciplinar e integradora de todos os saberes e capacidades desenvolvidos ao longo da formação. A PAP tem por objectivos a reflexão sobre causas e/ou consequências das decisões profissionais, o espírito de iniciativa, o espírito de abertura a soluções criativas e alternativas, e o desenvolvimento de capacidade de comunicação, programação e avaliação.

Para Joaquim José Carraco, director pedagógico da EPAAD, “a PAP envolve a forma de um projecto pessoal, o qual deve ser estruturante do futuro profissional do aluno e centrado em temas e problemas por eles perspectivados”, e nele “devem ser investidos saberes e competências adquiridos no quadro de formação”.

Francisco Bravo, do Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade (Delegação de Coimbra), na qualidade de elemento do júri de avaliação, externo à escola, revelou que “os projectos defendidos foram muito bons”. Aliás, continuou, “foi uma surpresa a qualidade dos trabalhos apresentados”, sublinhando que “nunca imaginei que alunos de uma escola profissional tenham este tipo de conhecimentos, e tenho a certeza de que a maioria das pessoas e instituições também ficariam surpresos”. “Dentro da temática do ambiente e conservação da natureza foi extremamente meritório a investigação e os projectos elaborados e cabalmente defendidos pelos formandos”, disse o técnico de Conservação da Natureza. Daí, concluiu, “felicito a EPAAD, os professores e os alunos que defenderam estas PAP’s”.

Também os formandos do Curso de Operador de Máquinas Agrícolas, apresentaram a respectiva PAF (Prova de Avaliação Final), no Campo Experimental da Alagoa, realizando provas práticas com manobramento de tractor agrícola acoplado com várias alfaias: grade de discos, charrua, grade rotativa de facas direitas (rototerra), escarificador, enfardadeira de rolos e destroçadora, fundamentadas com provas teóricas.

Participaram nestas provas os jovens empresários agrícolas do concelho, Carlos Miguel Sousa e António Monteiro Dentinho, que acolheram alunos nos respectivos estágios, nas suas explorações agrícolas. Como ex-alunos da EPPAD mostraram-se satisfeitos por terem a oportunidade de “terem aprendido” nesta escola e receberem, agora, futuros técnicos. Na sua opinião, “estes cursos técnicos proporcionam uma formação de qualidade e uma adequada experiência aos futuros técnicos na área agrícola”. Aliás, referiram, “foi através destes cursos da EPAAD que constituímos as nossas empresas agrícolas, criando o nosso próprio emprego e outros de que tivemos necessidade para implementar o respectivo projecto”. “A formação na EPAAD é modelar e exigente, proporcionando novos horizontes a quem gosta de profissões ligadas ao mundo rural”, explicaram.

Todas as provas foram concluídas com sucesso. Os primeiros auferiram a certificação profissional de nível IV e o 12.º ano escolaridade e os segundos a qualificação de técnico na área do curso e o 9.º ano de escolaridade