A Escola Profissional Agrícola Afonso Duarte (EPAAD), a direcção regional de Agricultura e Pescas do Centro e a Cooperativa Agrícola do concelho de Montemor-o-Velho, realizaram, em parceria, dia 1 de Outubro, o “Dia Aberto de Milho/Dia de Campo”, juntando cerca de uma centena de convidados, entre agricultores, técnicos, alunos, empresas da fileira, serviços oficiais e instituições ensino agrícola.

 

A jornada começou, pela manhã, no Campo Experimental do Bico da Barca, com a recepção junto do secretariado do evento. Depois das boas-vindas e abertura do evento pelo representante do Director Regional de Agricultura e Pescas do Centro, teve lugar a visita ao 1.º painel de campo: “estudo de sistemas de mobilização do solo e de monitorização da rega”, onde foi feita uma análise com fundamentação técnica e também acerca dos custos do sistema de mobilização convencional e do sistema de mobilização vertical, cujo ensaio é da responsabilidade do Técnico Eng.º Serafim Andrade-DRAPC.

Seguiu-se a visita ao Campo de Variedades de Milho, Ciclo FAO 500, (com o estudo de dez variedades), igualmente no Bico da Barca, onde se pretende avaliar a capacidade produtiva de cada variedade, bem como avaliar o ciclo vegetativo e o teor de humidade à colheita, com responsabilidade técnica de ensaio do Eng.º Serafim Andrade-DRAPC e Eng.º Mário Pardal-EPAAD.

Já na Unidade Experimental do Sabico das Areias (seis hectares), da Escola Profissional Agrícola Afonso Duarte, inserido na sua Rede de Ensaios 2010, onde foi visitado o Campo de Ensaio de Variedades de Milho 2010, contendo 43 variedades, dos ciclos FAO 200, 300, 400, 500 e 600. De acordo com Mário Pardal, da EPAAD, técnico responsável pelo ensaio, “os objectivos destes Ensaios centram-se na avaliação da capacidade produtiva de cada variedade e a sua adaptabilidade na região do Baixo Mondego, bem como avaliar os seus ciclos produtivos e os seus teores de humidade á colheita”.

Ainda nesta Unidade Experimental, a comitiva observou um Campo de Ensaio de fertilização usando adubos com Azoto de Libertação Controlada. Os seus propósitos, segundo o mesmo técnico “constam da avaliação da eficiência das diferentes adubações com 180 unidades de Azoto de libertação controlada, considerando os níveis de fertilidade da parcela franco-arenosa e as práticas agronómicas usadas na região, bem como avaliar a capacidade produtiva da variedade “DKC 60.85”, submetida a diferentes adubações, limitadas ao tecto máximo de 180 UF de Azoto”.

EPAAD hasteou bandeira Verde

Ainda no período da manhã, os participantes nesta Jornada Técnica de Campo foram recebidos pelo Director Pedagógico da EPAAD, Joaquim José Carraco, na Sede da Escola Profissional Agrícola Afonso Duarte, onde marcaram presença o presidente

da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, Luís Leal e o presidente da Direcção da Associação Diogo de Azambuja, Pedro Machado.

Aproveitando a ocasião, a EPAAD hasteou pela 1.ª vez a “ Bandeira Verde EcoEscolas”, galardão recentemente atribuído à EPAAD. No momento, usou da palavra o Director Pedagógico da EPAAD, que, em palavras de circunstância, enalteceu o acto solene, agradecendo a todos a sua participação, convidando-os, de seguida, a tomarem parte no tradicional almoço de confraternização, nas instalações da Escola Profissional Agrícola.

Em nome das três entidades parceiras na iniciativa, Mário Pardal frisou que “ a EPAAD, a direcção regional de Agricultura e Pescas do Centro e a Cooperativa Agrícola do concelho de Montemor-o-Velho ficaram muito honradas com a participação de todos os intervenientes e esperam continuar a desenvolver acções do género capazes de prestar um serviço positivo aos agricultores da região e á fileira do Milho” , enaltecendo a forma como decorreu toda a jornada, e de modo particular o encerramento que “ proporcionou uma activa interacção e um salutar convívio entre agricultores, técnicos, entidades oficiais, alunos e empresas da fileira” .