A direcção da Associação Diogo de Azambuja (ADA) pretende que os alunos das suas escolas profissionais tenham uma alimentação saudável. Para isso, “é necessário o envolvimento e participação dos jovens”.

No dia 16 de Junho, as enfermeiras especialistas em Saúde Comunitária, Patrícia Pinto e Manuela Oliveira, apresentaram às direcções pedagógicas das escolas da Associação Diogo de Azambuja (ADA), pessoal docente e não docente os resultados obtidos no trabalho de investigação intitulado “Estudo da prevalência de alguns factores de risco nos adolescentes das Escolas da ADA”.

O estudo efectuado, durante os meses de Janeiro e Fevereiro de 2010, através de avaliação antopométrica e analítica e de um questionário, pretendeu “conhecer a magnitude do problema, de forma a poderem actuar na prevenção e na promoção da saúde dos adolescentes e, deste modo, melhorar a prestação dos cuidados de enfermagem”.

No dia 8 de Julho próximo, dia dedicado à Saúde integrado na ‘Semana Cultural da ADA’, os mesmos resultados serão apresentados aos alunos, no auditório da EPM.

Para Mário Jorge Silva, director pedagógico da Escola Profissional de Montemor (EPM), “os resultados deste estudo constituem uma óptima oportunidade para sensibilizar os alunos para melhorarem o seu regime alimentar”. Aliás, sublinha, “a alimentação dos seus alunos (especialmente o almoço) é uma das grandes preocupações da direcção da ADA, que se encontra, actualmente, a estudar a melhor maneira de promover, junto dos alunos, acções de sensibilização para demonstrar as vantagens de um regime alimentar saudável”. “Tal só é possível com o envolvimento e colaboração dos alunos”, salienta.

De referir que este estudo se realizou numa parceria da Associação Diogo de Azambuja (ADA) e da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, instituição onde as enfermeiras frequentaram o Curso de Especialização em Enfermagem de Saúde Comunitária.